Muitas pessoas, mesmo as que praticam atividades físicas corriqueiramente, não sabem ou têm muitas dúvidas sobre o que é exatamente alongamento e aquecimento. Afinal, há alguma diferença entre elas? Seriam ambas necessárias para a prática de exercícios físicos? Em qual situação ou momento cada uma deve ser feita?

Pensando nisso, preparamos um post para ajudá-lo a esclarecer um pouco sobre as diferenças entre alongamento e aquecimento, bem como responder as principais dúvidas sobre essas práticas. Confira: 

Qual a principal diferença entre alongamento e aquecimento?

A diferença entre essas duas técnicas é justamente o seu objetivo. O aquecimento tem como função aumentar a circulação sanguínea e, com isso, distribuir mais nutrientes e oxigênio para os tecidos. Isso é necessário antes de qualquer atividade física, para que todo o corpo consiga oferecer o melhor desempenho durante a prática.

Além disso, o aquecimento é uma forma de se evitar uma mudança abrupta do metabolismo corporal, para que ele não saia do completo sedentarismo diretamente para os exercícios intensos. Isso também acaba evitando problemas durante o treino, como o cansaço excessivo logo no início.

Já o alongamento está relacionado com a prevenção de lesões e aumento da mobilidade da articulação. O estiramento muscular, em menor proporção dos tendões e ligamentos, ajuda na movimentação de forma global.

Qual é o momento certo de aplicar cada um?

Aquecimento

O momento adequado para o aquecimento deve ser antes de se iniciar qualquer prática física. Ele pode ser feito das mais diversas formas, como, por exemplo, pular corda ou até mesmo uma caminhada antes da corrida, fazendo com que ela tenha a intensidade aumentada gradualmente até chegar na velocidade desejada.

O ideal é que o foco do aquecimento seja na musculatura que será trabalhada durante a musculação. Se o treino for de pernas, por exemplo, realizar agachamentos sem nenhum tipo de carga ou pular por cerca de 1 minuto na cama elástica são boas opções.

Alongamento

Aqui, há controvérsias. Alguns estudos afirmam que o alongamento deve ser realizado antes dos exercícios para evitar lesões durante a prática da atividade. Porém, isso pode também acabar diminuindo a performance dos músculos, como mostrado em um outro estudo. Por isso, muitos recomendam o alongamento após a prática dos exercícios como uma forma de aliviar o esforço muscular.

No entanto, é necessário ter em mente que, caso você decida realizar o alongamento antes de iniciar a atividade física, ele deve ser feito após o aquecimento. Após o aumento da circulação sanguínea, os músculos, tendões e ligamentos ficam com uma temperatura mais elevada e, portanto, mais maleáveis. O alongamento sem um aquecimento prévio pode desencadear inflamações que resultam em lesões posteriormente.

Quais os melhores tipos de alongamento e aquecimento?

Quanto mais partes do corpo forem requisitadas durante as técnicas, melhor. Por exemplo: um aquecimento global, como a corrida, é excelente para quem vai nadar ou praticar algum esporte como o futebol. Como essas atividades envolvem todos os músculos de uma única vez, todos eles devem estar com um maior aporte sanguíneo.

No caso do alongamento, especialmente se você estiver sem tempo, priorize os que recrutem grandes cadeias musculares. Tentar alcançar os pés com os dedos das mãos, por exemplo, permite que você alongue toda a cadeia posterior de uma única vez. Levar os braços para trás e unir as mãos nas costas também faz um bom alongamento dos peitorais maior e menor.

O ideal é que o indivíduo permaneça na posição por, pelo menos, 30 segundos. Dentro desse intervalo, após 20 segundos, ele deve tentar alongar um pouco mais, chegando ao estiramento máximo sem sentir nenhum incômodo.

Gostou do post de hoje? Agora que você já tirou todas as suas dúvidas sobre alongamento e aquecimento, veja qual é forma correta de realizar o alongamento depois do seu treino.