Equipamento adequado, tipo de pisada e condicionamento físico não são as únicas variáveis que afetam o desempenho na corrida. Se você não trabalhar a respiração, pode acabar o percurso sem gastar tantas calorias ou com um rendimento menor que o esperado.

Felizmente, você pode seguir algumas dicas para aprimorar inspiração e expiração na atividade física. A seguir, aprenda como respirar para correr e entenda ainda por que é tão importante prestar atenção nesse movimento durante o exercício:

Qual a importância da respiração?

Seja em tiros curtos de velocidade ou em provas de resistência, a corrida é um exercício que exige muita circulação de ar no corpo. É assim que as células são oxigenadas e o gás carbônico é eliminado do organismo, garantindo a ventilação durante movimentos intensos.

Uma boa respiração aprimora o rendimento do atleta na corrida e até ajuda no emagrecimento. Se feita da forma errada, a respiração faz até a sua atividade física terminar mais cedo. Sabe aquela dor na lateral do corpo que aparece na corrida? Ela pode ser consequência da falta de oxigênio no diafragma, e respirar corretamente evita esse desconforto.

Como respirar para correr melhor? 

Seguindo alguns passos, é possível melhorar a sua respiração durante a atividade física e correr mais rápido ou por mais tempo. Confira algumas dicas e prepare-se!

1. Utilize a região abdominal

Ao inspirar, procure inflar primeiro a região abdominal, não a parte do tórax. Essa técnica é chamada de respiração diafragmática e aumenta a sua capacidade respiratória, consequentemente melhorando o desempenho esportivo.

Lembre-se de soltar o ar de forma mais lenta do que a inspiração, até que o abdome volte ao formato original. Isso ajuda a eliminar mais gás carbônico. Achou difícil? Não perca a animação! Aprenda técnicas respiratórias e treine durante o dia, mesmo enquanto não está praticando exercícios. Na hora de correr, você já estará devidamente acostumado.

2. Respire pela boca se achar melhor

Respirar pelo nariz é mais recomendado durante o dia, já que isso deixa o ar na temperatura certa no caminho até os pulmões, além de filtrar partículas pelos cílios das narinas. Porém, nas corridas, nem sempre é possível ficar de boca fechada — mas não se preocupe com isso.

Em exercícios intensos, como a corrida, o corpo pede que você utilize a boca para respirar, em um processo automático e natural. Assim, é possível absorver mais oxigênio de uma só vez sem gastar tanta energia.

3. Não tenha medo de reduzir a velocidade

Começou a sentir dores ou notou que está perdendo o fôlego? Não precisa parar de correr, mas não hesite em diminuir o ritmo ou reduzir a velocidade por um tempo. O ideal é acalmar o ritmo da respiração até que a sensação de desconforto ou perda de fôlego passe. A partir daí, volte a aumentar a velocidade das passadas aos poucos.

4. Deixe o ciclo respiratório constante e ritmado

Respirar rápido demais pode deixar você ansioso e causar a perda do fôlego. Por outro lado, o movimento muito devagar diminui a quantidade de oxigênio circulando no corpo. Tenha como objetivo manter uma frequência equilibrada e constante de inspiração e expiração durante a prova.

Estabeleça ritmos ou padrões — contar até três a cada inspiração e até dois para soltar o ar, por exemplo. Com o tempo, você se acostuma com o exercício e mantém a mesma intensidade em todo o trajeto.

5. Faça musculação

Além dos exercícios aeróbicos, é possível melhorar a respiração com musculação. Trabalhando as regiões certas, você fortalece músculos que participam do movimento e aprimora a capacidade de inspirar e respirar.

Dê preferência a exercícios abdominais e intercostais (dos músculos entre as costelas), além de fortalecer a região da lombar. Agachamentos e atividades realizadas com bola no pilates também são indicados.

Com essas dicas e explicações, você já sabe como respirar para correr melhor! Sentiu alguma diferença no desempenho depois de seguir essas dicas? Tem alguma sugestão que também ajude no movimento? Deixe o seu comentário aqui no post!