Fortalecer, fortalecer, fortalecer… hoje em dia, essa palavra é muito comum não só na corrida, mas em qualquer atividade física ou modalidade esportiva. Deixar os músculos mais fortes, para que seu treino seja mais eficiente, se tornou fundamental.

 

Mas quando falamos de fortalecimento na corrida, você tem feito seu treinamento de forma adequada? Nessa matéria, vamos trazer 5 pequenas dicas que vão mudar o jeito que você faz seu treinamento de força.

 

Antes disso, é preciso reforçar que, mesmo não realizando um fortalecimento aparentemente tão específico para a corrida, ele já trará resultados importantes para prevenção de lesões e melhora no desempenho.

 

Porém, da mesma forma que existe um melhor jeito de cozinhar, ou de fazer uma boa apresentação em seu trabalho, existe sim um jeito melhor de fazer seu trabalho de fortalecimento na corrida. E com certeza essas mudanças farão uma diferença muito importante em seu rendimento.

Vamos conferir?

 

Realize exercícios globais em seu de fortalecimento

O ato de correr envolve a ativação de todos os músculos, não só de membros inferiores, como também abdominais, lombar, braços, etc. Nesse cenário, o treino de fortalecimento de corrida também precisa trabalhar os músculos em conjunto. Exercícios que isolam musculaturas ou trabalham músculos menores podem (e devem) ser priorizados somente em casos complementares, ou necessidades específicas e fraquezas que o corredor já apresenta.

Exercícios isolados em excesso, além de não trazerem resultado, reduzirão o tempo de trabalho com músculos maiores, que são os mais exigidos durante a corrida.

 

Trabalhe ( muito ) abdominal e lombar

Fortalecer a região conhecida como core (área que envolve abdominal e lombar) é fundamental para sua melhor corrida. Com esses músculos mais fortes, a exigência de membros inferiores é reduzida, colaborando para um melhor rendimento em seus treinos e retardando a fadiga.

 Além disso, sua postura na corrida melhora de forma significativa, pois seu tronco fica mais ativado e alinhado, promovendo um maior potencial para o uso de seu glúteos e pernas.

 

Realize exercícios unilaterais ou alternados

Durante a corrida, os músculos são exigidos de forma diferente dos dois lados (direito e esquerdo). Naturalmente, nosso corpo tem um lado predominantemente mais forte, e se essa diferença se acentua, favorece o surgimento de desequilíbrios importantes e, consequentemente, lesões.

Por isso, realizar exercícios unilaterais ou alternados, ativando isoladamente lado direito e lado esquerdo, irão contribuir para igualar as forças e evitar compensações.

 

Treine saltos

Uma corrida tende a ser mais eficiente quando o seu contato do pé no solo acontece da forma mais rápida possível, projetando seu tronco à frente. Realizando treinamento de saltos, seu corpo passará a ser mais eficiente nesse aspecto, e também passa a ativar de forma mais eficiente o músculo nessa ação.

Sendo um movimento de grande exigência, é muito importante que o corredor já tenha uma boa base de fortalecimento na corrida antes de realizá-los.

 

Treine força e potência, e menos resistência

Durante muito tempo, se popularizou a ideia de que nos treinos de fortalecimento na corrida devem ser trabalhados altos números de repetição, e pouca carga. Mas isso tem mudado bastante nos últimos anos, e estudos atuais vem demonstrando que exercícios de força e potência (mais carga, poucas repetições, e alta velocidade) são mais eficientes para a evolução dos corredores.

Isso acontece porque, quanto mais carga e velocidade o corredor gerar no treino de fortalecimento, mais eficiente seu cérebro se tornará na solicitação do músculo, atenuando a lesão. Salvo em casos específicos, exercícios que priorizam a resistência devem ser trabalhados em períodos de recuperação, fases de transição de métodos, ou para corredores iniciantes, visando aprendizagem e melhor execução.

 

E você, gostou dessa dica? Comente e compatilhe!