Dor. Desconforto. Rigidez muscular. Queda de rendimento. Aspectos que não somente afetam o prazer de realizar uma corrida, como podem ser determinantes para que um corredor não evolua, ou mesmo pare de praticar a modalidade.

Todo corredor busca se desenvolver na corrida, através de educativos técnicos, fortalecimento muscular, vídeofilmagem para detectar correções, etc. Nesse cenário, fatores preventivos são renegados a um segundo plano.

Num primeiro momento, quando um corredor sente alguns dos sintomas acima, a tendência é sempre imaginar algo mais grave, como uma lesão por esforço repetitivo, fraqueza muscular, uma tendinite em função da exigência física, etc. Porém, a solução pode estar em algo muito mais simples do que sessões intermináveis de fisioterapia, uso de medicamentos e, no pior quadro, a interrupção da atividade. Estamos falando da liberação miofascial na corrida.

Mas afinal, o que é essa técnica cada vez mais utilizada por corredores e diversos outros esportes?

A liberação Miofascial é uma técnica de massagem, que consiste em aplicar pressão em pontos de maior tensão e rigidez muscular, com o objetivo de acomodar a fáscia de forma adequada ao músculo. 

Fáscia

Mas o que é a fáscia, afinal? Ela é uma lâmina de tecido que recobre todos os músculos do corpo, abaixo da pele, e que permite que os músculos deslizem perfeitamente durante os exercícios. Muitas vezes, quando estamos com a musculatura fraca, ou ficamos numa posição durante muito tempo, a fáscia perde o alinhamento natural com o músculo. Isso implica numa maior dificuldade em ativar sua musculatura com plena eficiência.

O hábito de realizar técnicas preventivas infelizmente não é algo tão rotineiro entre praticantes de corrida. E muitas vezes, a ausência desses hábitos desequilibra o corpo, criando áreas de tensão e rigidez muscular, e prejudicando a amplitude completa dos movimentos, assim como o recrutamento pleno do músculo. A liberação miofascial na corrida trabalha com esse objetivo: Liberar essas restrições e realinhar o músculo.

Aplicação da técnica

Para realizar a liberação miofascial, existem diversos materiais específicos como rolos de espuma (foam rollers), bastão (Stick), softball e bolas de tênis.

Também é muito comum o uso da autoliberação, através de técnicas manuais que procuram encontrar os pontos de tensão (conhecido como “trigger points”). Através de movimentos circulares e massagem, ela ajuda a reduzir a tensão e acomodar adequadamente a fáscia ao músculo novamente.

Dói? Sim. Mas não é uma dor ruim. Dói porque a prática está liberando pontos de tensão, estimulando a circulação local e renovando o oxigênio no sangue. No fim, ficamos aliviados, relaxados e alongados.

Em resumo, a liberação miofascial na corrida promoverá a você:

– Maior equilíbrio e eficiência muscular;

– Aumenta a oxigenação nas áreas afetadas, reduzindo a rigidez;

– Permite um alongamento mais profundo do músculo;

– Contribui para ganho de flexibilidade e melhoria da postura;

– Alivia tensões musculares;

E você, está pronto para começar?