Correr é um esporte completo que desafia quem o pratica a superar seus limites a cada treino. Apesar de seus inúmeros benefícios, existem algumas lesões populares em corredores que acabam limitando a atividade e até impedindo o esportista de realizar as atividades durante algum período.

No post de hoje, você vai saber quais são essas lesões, o motivo de aparecerem com tanta frequência nesse esporte, os tratamentos e o que fazer para evitá-las. Continue a leitura e fique por dentro dos detalhes da corrida para praticá-la sempre com segurança!

Tendinite patelar

A tendinite patelar é uma síndrome caracterizada por uma dor no joelho que evolui rapidamente para uma situação crônica, aparecendo ao subir escadas, cruzar as pernas e, obviamente, ao correr. Ela é causada principalmente pelo exercício físico feito de modo exagerado e falta de alongamento.

Para evitar esse desconforto, é importante treinar em superfícies em que o impacto seja mais leve, fazer sempre alongamentos antes de realizar a atividade, praticar musculação para fortalecimento, corrigir posturas, treinar sem exageros e usar um tênis adequado para sua pisada.

O tratamento para a tendinite consiste em sessões de fisioterapia e, em alguns casos, no uso de medicamentos prescritos pelo médico.

Fascite plantar

Essa é uma das inflamações mais comuns em corredores, principalmente naqueles que praticam a corrida de rua e que treinam em terrenos muito irregulares. A complicação consiste na inflamação da fáscia plantar, que é o tecido que cerca a planta do pé. Os esportistas que sofrem com a fascite plantar apresentam fisgadas na planta dos pés que precisam ser avaliadas e tratadas por um médico ortopedista.

Além de correr em terrenos irregulares, o aumento de peso, erros de pisada nos treinos e alteração da forma dos pés também podem ser responsáveis pelo aparecimento dessa lesão.

Síndrome do trato iliotibial

O trato iliotibial é uma banda feita com tecido fibroso localizada na lateral da coxa. A lesão nesse local é comum em corredores, ciclistas ou esportistas que realizam atividades que contenham flexões repetidas dos joelhos.

O que causa essa síndrome é a fricção em excesso da região, o que pode ocorrer com frequência em quem possui encurtamento muscular, por exemplo. Também pode acontecer devido à má postura ao praticar o exercício, quando a corrida é praticada em terreno angulado ou quando os tênis do atleta estão mais desgastados na parte externa, sobrecarregando a região. 

A lesão causa muitas dores e inflamação na região do joelho. Além disso, quem sofre com a condição pode apresentar hipersensibilidade na região do fêmur e sensação de queimação quando o joelho é flexionado ou estendido.

Dor no quadril

Se durante a corrida você já sentiu uma pequena fisgada no quadril, fique tranquilo. Mas se ela persistir, é melhor procurar um médico. A dor no quadril pode ser um simples desconforto, o que é normal quando se pratica um exercício mais intenso, mas também pode significar uma sobrecarga na região, provocando uma tendinite no músculo glúteo médio.

Essa lesão pode acontecer por um abrupto aumento de carga de exercício sem a preparação exigida. Ou seja, é comum naquelas pessoas que correm somente aos finais de semana e não se preocupam em manter uma rotina para que o corpo e os músculos se acostumem com a intensidade do exercício.

Para evitar esse problema, é importante seguir o planejamento de treino e respeitar o tempo de recuperação entre uma corrida e outra.

A maioria das lesões populares em corredores pode ser evitada com uma boa alimentação, melhor escolha do tênis e respeito a seus limites, sem extrapolar a intensidade dos exercícios. Também é importante visitar regularmente um médico para prevenir e praticar a corrida com saúde!

E você, já sofreu alguma dessas lesões? Escreva sua experiência nos comentários!