A influência da alimentação em maratonistas

A nutrição desportiva e a influência da alimentação em maratonistas
5 minutos para ler

Todo mundo sabe que a rotina de um atleta ou uma “pessoa normal” que busca evoluir em seus treinos passa por uma alimentação balanceada e controlada. Mas qual a diferença entre um corredor que treina para provas de até 10km e a maratona. Ou seja, qual a influência da alimentação em maratonistas quando comparado à outras distâncias? É o que você irá entender a partir de agora.

42.195m. Uma jornada sonhada por muitos corredores, mas que poucos já tiveram o privilégio de completar. Não à toa. A maratona é uma distância que exige muito de corpo, mente… e alimentação adequada. Por isso, os maratonistas precisam mais dessa atenção. 

Para que esse grupo tenha bons resultados e um ótimo desempenho, é fundamental o acompanhamento de um nutricionista desportivo. Estamos falando não apenas sobre controlar o peso, mas também a importância do nutriente certo para suportar com qualidade as horas de treino e, é claro, o grande momento para o qual ele treina: a prova.

Neste artigo abordaremos a influência da alimentação em maratonistas, alguns itens que precisam estar na dieta desses esportistas e a importância desse equilíbrio no consumo.

O que é Nutrição desportiva?

A nutrição desportiva consiste em um acompanhamento profissional para os maratonistas e esportistas de diversas modalidades, de modo a oferecer uma alimentação equilibrada e saudável, de acordo com o perfil de cada pessoa.

Neste tipo de atendimento muitos conhecimentos são empregados para que os maratonistas tenham o melhor resultado nas atividades, desde estratégias que favoreçam a recuperação, bem como a melhor alimentação durante o treino, inclusive.

O papel do nutricionista é tão determinante que passa pela observação de coisas muitas vezes imperceptíveis, como a alimentação associada a tratamentos odontológicos, avaliando junto ao dentista as melhores opções, como um aparelho invisivel, pois muitas vezes alguns alimentos podem criar maior desgaste na mastigação, gerando tensão excessiva na região de mandíbula e pescoço. Interessante, não?

Alguns dos conhecimentos empregados são:

  • Nutrição;
  • Fisiologia;
  • Bioquímica;
  • Metabólica;
  • Exercícios físicos.

As dietas podem ser atreladas a variados objetivos: construção de músculos, pele, fornecimento de energia, regular glicose e nível de stress, dentre outros fatores na influência da alimentação para maratonistas.

No tópico abaixo falaremos sobre o planejamento alimentar de um maratonista, citando alguns dos alimentos importantes para esse tipo de esportista, de acordo com seu peso, altura e também considerando a existência de algum tratamento em andamento, como lente de contato dental, por exemplo.

O planejamento ideal como influência da alimentação em maratonistas

Todo maratonista precisa prestar atenção no planejamento da sua prova. Assim, para que o corpo do atleta fique preparado é preciso que sua alimentação esteja em dia e de acordo com suas características e necessidades.

Para isso, a nutricionista desportiva fará um planejamento alimentar que terá alguns objetivos centrais, conciliados à prática e metabolismo do atleta.

Garantir reservas musculares de glicogênio

Alguns maratonistas, para ficarem mais leves e mais rápidos, tendem a reduzir a alimentação e, consequentemente, o consumo energético.

Entretanto, isso pode causar uma quebra generalizada das reservas de glicogênio ao nível muscular, principalmente por estarmos falando de treinos que podem duram de 2 até 4 horas.

Assim, o nutricionista indica uma série alimentar com um índice glicêmico eficiente para suprir as necessidades energéticas sem a alteração do peso, como batata-doce, arroz, mandioca e inhame.

Hidratação equilibrada

No planejamento alimentar do maratonista há um programa de hidratação extremamente necessário, para que os atletas não sofram com desequilíbrio hídrico.

Por isso, é importante o consumo de água regular e evitar bebidas como chá drenante.

É importante salientar que é fundamental o controle de ingestão de cafeína ao longo do processo. Mas, lembre-se, as quantidades adequadas serão passadas por seu nutricionista.

Consumir gorduras saudáveis

O nutricionista passará uma lista de alimentos com gorduras saudáveis que ajudam a manter o sistema imune forte, permitindo uma recuperação muscular mais rápida após a maratona.

Alguns desses alimentos são: abacate, frutos secos e peixes como salmão, atum, arenque e cavala, que são ricos em ômega-3.

Esses alimentos contribuem também para uma melhoria da saúde bucal e do fortalecimento dos dentes, além de ajudar nos resultados do clareamento dental caso o atleta esteja fazendo algum tratamento.

Considerações finais da influência da alimentação em maratonistas

A alimentação de um maratonista precisa sempre estar equilibrada para garantir a recuperação muscular. 

O maratonista também não pode treinar em jejum, pois essa ação prejudica o corpo como um todo, além de trazer exaustão mental e demandar um maior tempo de recuperação.

Em dias de treino mais longos é importante que o café da manhã seja reforçado, contando com alimentos como:

  • Pão com mussarela de búfala e banana;
  • Panquecas com pasta de amendoim;
  • Salada de frutas;
  • Tapioca com ovos mexidos.

Todos esses cuidados que o maratonista deve ter são fundamentais para garantir um melhor desempenho nos treinos e, consequentemente, na prova final. 

A influência da alimentação em maratonistas garante que a saúde bucal, mental e física continuem íntegras, e o esportista consiga suprir todas as suas demandas e atingir os resultados esperados.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Clínica Ideal, plataforma especializada em marketing e gestão para consultórios e clínicas odontológicas.

Você também pode gostar

Deixe um comentário