Powered by Rock Convert

Atividade já reconhecida e muito indicada para quem busca um corpo saudável, pode o Pilates para corredores ser uma alternativa melhor do que a musculação, o treinamento funcional ou Crossfit? É o que você irá descobrir agora.

Dificilmente uma pessoa que decide começar a fazer uma atividade física não colocará entre as alternativas o Pilates. Atividade criada em 1880 por Joseph Pilates, mas desenvolvida principalmente durante a Primeira Guerra Mundial, teve como principal meta promover nos soldados corpos fortes e flexíveis, além de uma alternativa para amputados atingidos em combate.

Após esse período, o método se popularizou e hoje tem adeptos de todos os públicos e faixas etárias. Mas e quando falamos sobre Pilates para corredores? O que ele pode trazer de benefício diferente de outras atividades?  Para tirar essa grande dúvida, separamos uma série de benefícios que são aplicados diretamente no treinamento de corrida.  

Pilates para corredores – Aumento do equilíbrio muscular

Um dos maiores benefícios para quem corre. O Pilates – em sua essência – trabalha a evolução física e muscular através de exercícios que detectam desequilíbrios claros entre lado direito x esquerdo e anterior x posterior.

É muito comum corredores terem músculos fortes, porém desequilibrados. Isso acaba, principalmente em distâncias maiores, desencadeando dores por compensação muscular e, consequentemente, lesões. Com a prática do Pilates, que trabalha com muita frequência exercícios uniarticulares (executar o exercício apenas com um lado ou área do corpo, e depois alternar), a chance de um corpo mais equilibrado é muito maior.

Pilates para corredores – Ganho de flexibilidade e mobilidade

Quem nunca presenciou um corredor que faz musculação ou treinamento funcional e, mesmo assim, vive convivendo com lesões e problemas para evoluir na corrida? O problema pode estar na flexibilidade e mobilidade. O Pilates para corredores desenvolve essas duas capacidades físicas, algo que poucas atividades promovem.

Pilates na corrida

Mas por que o corredor deve se preocupar com flexibilidade e mobilidade, mesmo com músculos fortes? A razão é simples: tensão e amplitude. Músculos mais rígidos ou “travados” terão menos força em determinados ângulos, e gastarão mais energia para gerar um movimento completo. Dessa forma, o movimento da corrida pode perder uma “fluidez” natural no gesto, sobrecarregando algumas regiões mais do que outras.

O Pilates para corredores trabalha com mais ênfase a flexibilidade e mobilidade antes da força, respeitando uma evolução física mais adequada para o esporte. 

Aumento de força do CORE

Quem nunca ouviu falar do core? Composto pelos músculos abdominais e a região lombar, ele dá sustentação para que o corredor desenvolva boa postura e sobrecarregue menos pernas e glúteos durante a corrida.

Entre corredores de elite na África, em muitas regiões, é a única área priorizada antes de começar uma corrida, ou para um trabalho de fortalecimento. Os educativos de corrida também são bem frequentes nessa preparação.

Em resumo: o core é a região de maior ênfase na atividade, pois ela é o pilar para o equilíbrio do corpo. Isso mostra o quanto o Pilates para corredores trabalha algumas regiões essenciais, de forma bem específica.

O Pilates promove aumento da consciência corporal

Esse é um dos aspectos mais subestimados não apenas entre corredores, mas é qualquer esporte. A falta de consciência corporal atrapalha ajustes técnicos de postura na corrida, além de prejudicar também a coordenação, ponto fundamental para qualquer corredor.

O Pilates ajuda muito no maior conhecimento do corpo – onde contrair, quando relaxar – ensinando você a ativar os músculos de forma correta, evitando gasto de energia em regiões desnecessárias.

Viu como a opção do Pilates para corredores pode ser exatamente o que você precisa para desenvolver sua corrida? Já pratica essa atividade e teve outros benefícios? Compartilhe com a gente!

Powered by Rock Convert